19 de novembro de 2011

PARQUE NACIONAL DA TERRA DO FOGO

Hoje fomos conhecer o Parque Nacional da Terra do Fogo, localizado a 11 km de Ushuaia. Reservamos o transporte aqui mesmo na pousada, e às 10h ele passou para nos buscar.
Descemos na Bahia Ensenada, onde pegamos a senda costeira.
A trilha é uma gracinha, cheia de pequenas prainhas. Mas o frio estava de arrasar. Outro dia compramos um termômetro (chaveiro) e o colocamos na mochila pra termos uma ideia da temperatura. Nesse dia ele estava marcando abaixo de 05ºC. Pena que não encontramos um desses no início da viagem para sabermos quanto pegamos em El Calafate e El Chaltén.
Em um determinado momento na trilha avistamos um zorro colorado bem pertinho de duas turistas que estavam a alguns metros de nós. Quando elas o viram tomaram o maior susto, e pelo jeito ele também pois se enfiou no mato.
Mais adiante fomos nós que tivemos a sorte de ficarmos bem pertinho dele! Estávamos caminhando pela trilha e de repente, quando nos viramos para fotografar, vimos as turistas do outro lado da prainha fazendo sinal e apontando. Quando olhamos atrás de nós, lá estava ele, bem tranquilão.
O mais engraçado foi que ele ficou fazendo graça pra nós. Se jogou no chão, rolou na grama, parecia um cachorrinho. Claro que, sendo ele um animal selvagem, ficamos apenas observando e fotografando. Mas que dava vontade de passar a mão e fazer um carinho (como fazemos com cachorro), isso dava! :)
Depois da sessão de fotos do zorro, seguimos a trilha até chegarmos na estrada, próximo ao centro de visitantes Alakush.
Fomos até lá para irmos ao banheiro e fazermos um lanche. Ao redor do centro há muitas lebres. Vimos até uma família com dois filhotinhos. Na foto 01 provavelmente os pais, e na foto 02 os filhotinhos.
Estávamos meio perdidos no parque. Quando descemos na Bahia Ensenada o Cris perguntou ao motorista, que por sinal era a cara do "seu Barriga" do Chaves (rs), onde pegaríamos a van para voltar.
Ele disse alguma coisa sobre voltar (que eu não entendi) e que o Cris entendeu que teríamos que voltar ao ponto por onde havíamos passado antes de chegarmos na Bahia. Sendo assim, depois do lanche, seguimos pela estrada (afora) voltando de onde viemos. Eu disse que não fazia o menor sentido irmos pela trilha até um ponto e depois termos que voltar para pegar o transporte. O Cris também achava que não fazia sentido, mas se o "seu barriga" falou, tá falado.
Depois de andarmos muuuuuuuuuuito, uma alma caridosa (o motorista de uma outra empresa de van) resolveu parar e nos perguntar para onde estávamos indo. Dissemos que estávamos indo para o estacionamento pra pegarmos a van. Ele disse que o ponto mais próximo seria de onde estávamos vindo (que mais tarde descobrimos que era o centro de visitantes). Ele nos ofereceu uma carona e nós aceitamos. Ele nos explicou que há vários pontos onde podemos pegar a van, e que se estávamos vindo da senda costera, o ponto mais próximo seria o centro de visitantes. O "seu Barriga" não havia sido tão esclarecedor quando esse outro motorista. Ele nos deixou no centro de visitantes e disse que ali poderíamos pegar a nossa van às 17h, porém não conseguimos pega-la. Estávamos tirando fotos das lebres e quando percebemos o "seu barriga" já estava indo embora com a van lotada. Ok, teríamos que ficar por lá até às 19h, então decidimos caminhar mais, mas antes vimos novamente o zorro ali no centro de visitantes.
Continuamos caminhando e seguimos a trilha de la isla até chegarmos a um mirante (que não sei o nome), onde ficamos até a van aparecer. Aliás, sentimos falta de uma identificação dos lugares, assim como placas nas trilhas indicando quantos km já percorremos (ou quanto falta).
Pra dizer a verdade, eu queria voltar para o centro de visitantes, pois lá eu tinha certeza que o transporte passaria, já ali no mirante não. Mas o Cris disse para eu ficar tranquila pois de acordo com o mapa, ali era um ponto.
Claro que eu duvidei até o último momento. rs.. Depois de alguns minutos esperando, chegou um casal de turistas perguntando se ali era um "ponto do bus". Eu disse que achávamos que sim, e que estávamos esperando a nossa van. Eles, que estavam mais perdidos que nós, resolveram esperar ali também.
Pelo menos agora seríamos 04 esquecidos no parque, e não apenas nós 02. :) Mas depois de uns 15 minutos de espera a van chegou e fomos embora sãos e salvos! :)


Informações Gerais:
Transporte: Don Alejo - AR$ 85,00 (por pessoa)
Valor de entrada ao Parque Nacional da Terra do Fogo: AR$ 60,00 (por pessoa - p/residentes de países do Mercosul) - (valor em novembro de 2011).

2 comentários:

Expedição Andando por aí... disse...

Puxa Cris! O 'meu' motorista foi bem claro ao explicar os pontos de parada da van para o retorno... Inclusive ficamos esperando também na Bahia Lapataia... Linda a trilha né? Sorte ter um zorro pertinho de vocês... Lindas fotos.
Bjs
Carla

Cristiane Dias disse...

Oi amiga!
Seu motorista tb fo o "seu barriga"? rs.. Se foi, pegamos ele num dia ruim então. rsrs...
Tivemos que voltar ao parque para conhecer o restante do setor Lapataia.
Bjos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...