2 de junho de 2011

CATARATAS (lado argentino)

Passeio de hoje:
PARQUE NACIONAL IGUAZU
- CATARATAS LADO ARGENTINO.
Na Ecodrive (onde alugamos o carro) nos disseram que o Brasil e a Argentina têm um acordo que permite ao turista brasileiro dirigir, somente até as cataratas, sem a necessidade da carta verde. Sendo assim, pegamos a autorização para sair do país com o carro (documento obrigatório para veículos alugados), e seguimos direto para as cataratas.

Passamos pela aduana brasileira, pelo Duty Free (que fica entre as duas aduanas) e depois pela aduana argentina. Ninguém pediu a autorização de saída do veículo em nenhuma das duas aduanas. Assim como também não pediram nosso CPF e nem a minha carteira de motorista. Apresentamos somente o RG.

Logo depois da cabine, na aduana Argentina, fica uma pessoa perguntando para onde você vai, ou em alguns casos, pedem para abrir o porta malas do carro. No nosso caso apenas perguntaram para onde estávamos indo - cataratas - e nos mandaram seguir.

Trocamos reais por pesos numa casa de câmbio que tem na aduana Argentina, já que na internet dizia que o parque não aceitava reais, somente moeda local. Trocamos R$ 67 reais por $ 160 pesos, já que a entrada do parque custa $ 70 pesos (por pessoa) para visitantes do MERCOSUL.

Minha primeira viagem ao exterior! Que emoção! rsrs...
A lateral da ponte Tancredo Neves é pintada até a metade com as cores do Brasil (verde e amarelo) e a outra metade com as cores da Argentina (azul e branco).
Na bilheteria descobrimos que não teríamos pesos suficientes para pagar os dois ingressos e mais o estacionamento, que custa $ 24 pesos. O moço aceitou o que faltava em reais, no caso R$ 2,00. Ufaaa... imagina termos que voltar até a aduana para trocar mais dinheiro.
Só que no parque o cambio é diferente. Eles valorizam sua moeda e o peso vale R$ 0,50, enquanto na casa de câmbio R$ 0,42.

O parque argentino é beeem maior. Passamos o dia todo lá e não conseguimos visitar tudo. Voltaremos amanhã!

ATENÇÃO: Quem quiser visitar o parque em dois dias seguidos, ganha 50% de desconto no ingresso do 2°dia. Mas para ganhar o desconto é preciso selar o ingresso ao final do 1°dia.

O passeio começa pelo centro de visitantes, o Yvyrá Retá (que significa "a terra das árvores"), onde podemos pegar um mapa do parque e ainda ver em grandes painéis uma breve, e detalhada, explicação sobre a fauna, a flora e a cultura local.
Já com o mapa, seguimos pela trilha chamada "sendero verde", que nos leva até a estação das cataratas. A trilha é leve (655 metros) e é toda calçada, mas quem preferir pode pegar o trêm da estação central até a estação das cataratas.
A partir da estação das cataratas temos a opção de seguir caminhando para o circuito inferior e superior, ou pegar outro trêm que leva até a garganta do diabo.

Nós decidimos fazer os circuitos. Primeiro o superior e depois o inferior.

Circuito Superior: seu início fica a 200m da estação das cataratas e seu percurso total é de aproximadamente 650m. Dele podemos ver diversas quedas, inclusive o "Salto San Martin" que não é visto do parque brasileiro.

Circuito Inferior: seu início fica a 600m da estação das cataratas, em frente a um quiosque. Seu percurso é circular e tem aproximadamente 1.700m. Desse circuito podemos ter uma ideia melhor da grandiosidade das quedas.
Durante o circuito inferior, passamos pela trilha que leva até a Isla San Martin e resolvemos ir até lá. Para chegar a ilha é necessário pegar uma lancha que faz a travessia a cada 10 minutos.
A trilha que leva até o embarcadouro é uma gracinha. Ela é praticamente toda entre as pedra e com vista para a ilha e para algumas quedas.
Na ilha o desembarque é feito numa prainha, onde os gringos, acostumados com o frio, entravam na água como se estivesse quentinha. :)
Alguns estavam tão a vontade que resolveram trocar de roupa ali mesmo, no meio de todos. Isso pode até ser normal lá na "gringolândia", mas acho que por aqui ainda somos conservadores com relação a isso. Ou não somos?! :)
Alguns ficam ali, curtindo o solzinho, enquanto outros seguem direto para a trilha que leva até os mirantes.
Ficamos na dúvida se iríamos para a trilha, pois a última travessia da ilha acontece às 16h, e já passava um pouco das 15h. Não tínhamos noção se a trilha era fácil ou difícil. Achamos que era difícil, pois logo de cara tem uma baita escadaria.
Resolvemos ficar ali na praia, nos esquentando no solzinho, já que tínhamos pouco tempo e detestamos fazer as coisas com pressa.
Não conseguimos fazer o circuito garganta do diabo, pois o último trem parte pra lá às 15h. Não dá pra conhecer o parque e não conhecer a garganta de perto, né?!
Conclusão: voltaremos amanhã!! Uhuuu!! :)

Para terminar nossa aventura de hoje, essa belíssima queda.
Informações Gerais:
Endereço - Av. Victoria Aguirre, n° 66 - Misiones (acesso pela Rodovia Nacional, n° 12)
Telefone - 03757-420722

Funcionamento - Diariamente, das 08h às 18h.
Valor: $ 70 pesos (valor em junho de 2011)
Site: Iguazú Argentina

3 comentários:

Carla e Élio disse...

Oi Cris! Ótimos relatos... Dia 23 estarei por lá... Queria ver mais fotos... Me explica melhor o que é CArta Verde? É um documento do carro ou do condutor? Se for do carro acho que seria obrigação da locadora disponibilizar isso...
Bjs e Boas Viagens!
Carla

Cristiane Dias disse...

Claro! Vou dar uma passadinha lá no seu blog.
Bjos

Laudo Bonifácio Junior disse...

olá...

gostei muito do relato de vocês....estiv epor lá...fiz o lado argentino e o brasileiro e gostei muito....talvez até mais do lado argentino...que ninguém divulga muito...mesmo conhecendo...parabéns pel o texto e fotos....vou de novo e agora farei como voces, de carro....abraços...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...